Close Previous Next Previous Next Go up Go down Go up Go down Back to top Previous Go back Open menu Sound off Sound on Search Manager Calendar Date Comments Reading time Author Categories Tags Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube Phone Play Play Pause Languages Oficina virtual Tu perfil

Tendências atuais no mundo do trabalho

Bermix studio 4ov6vgaiix0 unsplash

Iniciamos o mês de abril e vivemos com a pandemia há mais de um ano, as suas consequências mudaram o nosso ambiente de trabalho, tendências e também os perfis mais procurados no mundo do mercado de trabalho.

O distanciamento, a realocação de trabalho, a flexibilidade e, acima de tudo, o processo de digitalização global em alta velocidade marcaram este ano e continuarão a marcar o roteiro das empresas para retomar a trajetória de crescimento e superar a crise provocada pelo coronavírus. Vejamos, então, as chaves para as empresas neste processo e as competências e empregos mais procurados.

A era da digitalização e do distanciamento

No início da pandemia, as medidas de confinamento e distância social obrigaram a maioria das empresas a adaptar-se rapidamente e a optar por fórmulas remotas, o que sem dúvida ajudou a quebrar as barreiras culturais e os preconceitos em relação à deslocalização do trabalho.

Da mesma forma, a digitalização acelerou-se e as mudanças que se estimavam a médio prazo foram feitas em tempo recorde, o que alterou as prioridades dos empregadores quanto às competências exigidas tanto dos seus funcionários como dos candidatos.

A digitalização exige hard skills e soft skills, uma fusão de conhecimentos técnicos que possibilita o teletrabalho (ferramentas digitais, programas de videoconferência, entre outros) como soft skills, relacionadas com adaptabilidade, resiliência e capacidade de comunicação.

Airfocus k_veavyefda unsplash
A digitalização requer hard skills e soft skills

Fórmulas mais flexíveis e trabalho por objetivos

A criação do teletrabalho trouxe-nos também inúmeras mudanças que têm a ver com a organização de tarefas. A presença física na empresa não tem mais assim tanto valor, e quer os chefes, quer os funcionários aprenderam o valor da produtividade sem serem ajustados a um cronograma fixo.

Assim, as empresas optam por trabalhar por objetivos e projetos, com esquemas muito mais flexíveis dentro e fora da organização, trabalhando em paralelo para reforçar o sentimento de pertença e envolvimento de todos os profissionais que trabalham na Employer Branding.

As profissões do futuro estão aqui

De acordo com os dados do Fórum Econômico Mundial no seu relatório –The Future of Jobs Report 2020, a expectativa é que em cinco anos, 85 milhões de empregos desapareçam devido à automação de processos, mas, ao contrário, estima-se que surjam 97 milhões de novos empregos. No ano da pandemia, esse processo acelerou-se e muitas profissões que considerávamos “do futuro” já estão aqui.

Os especialistas em inteligência artificial (machine learning, data science, entre outras) aumentaram 75% num ano, e o perfil da força de vendas destaca-se pelo seu papel fundamental na gestão do relacionamento com o cliente através da gestão de plataformas. Da mesma forma, vivemos na era dos dados e os perfis de dados são fundamentais para a tomada de decisões e ter profissionais e engenheiros especializados na área e na cibersegurança constitui um valor exponencial para as empresas.

Portanto, as profissões emergentes e as mudanças na organização do trabalho marcam o caminho a seguir em plena altura de recuperação pós-pandêmica, e a Nortempo está sempre ao lado das empresas e profissionais que movem o mundo.

Tens a coragem de mover o mundo connosco?