Close Previous Next Previous Next Go up Go down Go up Go down Back to top Previous Go back Open menu Sound off Sound on Search Manager Calendar Date Comments Reading time Author Categories Tags Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube Phone Play Play Pause Languages Oficina virtual Tu perfil

Quais os principais desafios do recrutamento para as organizações

Nortempo insights bruno verissimo 01

Podemos definir o recrutamento de talento como uma das atividades mais complexas e críticas para as organizações na contemporaneidade. São várias as dificuldades que se sentem quando “chega a hora” de recrutar um novo colaborador.

Atrair, selecionar e reter os melhores profissionais tornou-se um verdadeiro desafio fruto daquilo que é, cada vez mais, a competitividade do mercado.

Neste artigo procuro detalhar alguns dos principais obstáculos inerentes ao processo, analisando as dimensões da competição por talentos, evolução tecnológica, diversidade e inclusão, retenção e gestão da marca empregadora.

Como já referido, o mercado de trabalho atual caracteriza-se por uma enorme e intensa competição pelos melhores talentos. O crescimento da procura por profissionais altamente qualificados eleva a dificuldade das organizações em atrair candidatos com habilidades específicas. Acrescentando ainda que, atualmente, as empresas não competem de forma local, mas sim global, o que dificulta, ainda mais, a descoberta destes perfis. Este é um fenómeno particularmente prevalente nos setores altamente técnicos e inovadores onde existe uma enorme carência de competências especializadas. A competição interempresarial torna-se, assim, uma barreira significativa, exigindo estratégias de recrutamento cada vez mais sofisticadas e atrativas.

              A tecnologia tem sido um fator crucial no cenário do recrutamento. O uso de plataformas digitais, tais como redes sociais e ferramentas de recrutamento online, tornou-se elementar para identificar e captar candidatos. Não obstante, a adaptação a estas tecnologias pode revelar-se um desafio. Contudo, “já lá vai o tempo”, em que conseguíamos encontrar e contactar os melhores perfis do mercado com estas ferramentas. O elevado número de abordagens que os candidatos recebem, impulsionou uma saturação e indiferença a estas mesmas abordagens.

              Outro dos desafios primordiais nos processos de seleção é a promoção da diversidade e inclusão. As empresas, atualmente, compreendem a importância de dispor de uma força de trabalho diferenciada, diversificada e que fundamentalmente espelhe a multiplicidade da sociedade. Porém, garantir um recrutamento inclusivo requer um esforço concertado, sendo necessário, para tal, eliminar quaisquer preconceitos. A adoção de práticas inclusivas não só melhora a equidade no processo de recrutamento, como também contribui para um ambiente de trabalho mais inovador e produtivo.

              E como se atrair e selecionar não fosse já um desafio suficiente, as empresas enfrentam aquela que será, possivelmente, a fase mais determinante do processo. Após incitar os seus esforços para contratar os melhores talentos, as organizações defrontam também o desafio de os reter. A retenção de talento é, hoje em dia, vista de um prisma estratégico. Inclui planos de desenvolvimento profissional, iniciativas de engagement, e um acompanhamento cada vez mais personalizado do colaborador. A falta de oportunidades de crescimento e desenvolvimento interno podem levar à desmotivação e, consequentemente, à rotatividade de funcionários, resultando em perdas substanciais para as empresas. Estas podem contornar as dificuldades através de formação contínua, planos de carreira bem definidos e trabalhando o marketing institucional, de forma a promover um ambiente de trabalho mais satisfatório.

              Desenvolver o endomarketing, não só permitirá reduzir o turnover, como também, demonstrar-se-á fundamental na gestão da marca empregadora. É imprescindível, para as organizações, a construção de uma imagem positiva como empregadora. Esta gestão envolve trabalhar a cultura organizacional, tornando-a forte e atrativa, mantendo uma reputação positiva, quer online, quer no “world of mouth”. O papel que os colaboradores e ex-colaboradores desempenham neste processo é essencial pois influencia a perspetiva externa da empresa. Uma gestão eficaz da marca empregadora é um dos fatores que mais facilita, nos dias de hoje, a atração de talento.

Superar todos os desafios supracitados requer uma abordagem estratégica, inovadora e flexível. As organizações que conseguirem contornar os desafios e que consigam alinhar as suas práticas com exigência, estarão mais bem posicionadas para atrair e reter os melhores talentos, garantindo, assim, o seu sucesso a longo prazo.

Bruno Veríssimo, Commercial Specialist Grupo Nortempo