Close Previous Next Previous Next Go up Go down Go up Go down Back to top Previous Go back Open menu Sound off Sound on Search Manager Calendar Date Comments Reading time Author Categories Tags Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube Phone Play Play Pause Languages Oficina virtual Tu perfil

Como atrair e recrutar o melhor talento no setor da restauração

Restauracao

Nos últimos anos foi possível averiguar uma preocupação comum no setor do recrutamento, independentemente do perfil do candidato pretendido ou da área de atuação da empresa que deseja contratar. Recrutadores de diversas zonas do país podem concordar num tópico específico: recrutar está cada vez mais difícil. Quer estejamos à procura de um cozinheiro, operário fabril, engenheiro civil ou médico, o trabalho de um recrutador tornou-se mais desafiante e dinâmico, derivado de um mercado de trabalho onde, atualmente, a oferta é superior à procura. Esta realidade leva a que os candidatos tenham, para além de mais opções de escolha, um maior rigor na seleção da sua futura empresa. O setor da restauração destaca-se como um dos mais exigentes, devido à enorme rotatividade existente entre colaboradores e à crescente importância deste para a economia do país.

Qualquer recrutador, independentemente da experiência que possua, terá de adotar, muitas vezes, uma postura diferente durante a fase de entrevistas, sejam presenciais, online ou até por telefone. Hoje em dia, não é suficiente explicar claramente a oferta de trabalho aos candidatos. Os recrutadores terão, cada vez mais, de desempenhar um papel semelhante ao de um comercial.

O método mais eficaz de atrair e recrutar os melhores candidatos, após uma explicação sucinta e objetiva das tarefas associadas à função em causa, da validação dos requisitos obrigatórios e secundários e expor as condições salariais que estamos dispostos a oferecer, passa por “vender” a própria oportunidade de trabalho aos candidatos. Refiro-me a dedicar uns 2/3 minutos, na fase final da entrevista, a destacar os pontos positivos e diferenciados da empresa que está a contratar, nomeadamente condições não remuneradas, como, por exemplo, horários flexíveis, ambiente de trabalho agradável ou formação contínua, que afetam seriamente a decisão dos candidatos na altura de aceitar uma oferta ou continuar à procura. Torna-se, assim, imprescindível os recrutadores possuírem um conhecimento alargado da empresa para onde recrutam, conseguindo ter um discurso exímio e confiante ao transmitir essas informações aos candidatos.

Conciliando esta estratégia com os recursos habituais de recrutamento, tais como publicação de anúncios em inúmeras fontes adequadas, estabelecimento de uma relação de confiança com os candidatos durante todo o processo e fornecimento de feedback o mais rapidamente possível, instiga a curiosidade dos candidatos e, consequentemente, a uma maior taxa de sucesso. Em suma, se os recrutadores investirem tempo e dedicação em conhecer o máximo de informação possível sobre a oportunidade de trabalho e a empresa para a qual estão a trabalhar, terão maior facilidade em “personalizar” cada uma das suas oportunidades e, como resultado, acredito profundamente que os candidatos se irão aperceber disso e apreciar mais o processo.