Close Previous Next Previous Next Go up Go down Go up Go down Back to top Previous Go back Open menu Sound off Sound on Search Manager Calendar Date Comments Reading time Author Categories Tags Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube Phone Play Play Pause Languages Oficina virtual Tu perfil

As consequências / mudanças da pandemia para o trabalho temporário

As mudancas da pandemia no trabalho temporario

A pandemia veio alterar muitas rotinas, inclusive no âmbito laboral. Quais as principais mudanças e desafios inerentes à pandemia, numa entrevista a Anabela Basílio, Area Manager Norte Portugal da Nortempo.

1. Quais as mudanças mais sentidas na gestão interna da Nortempo, fruto da pandemia?

As mudanças mais sentidas e de forma positiva, foram o antecipar e o acelerar da transformação digital dos processos, que teve um impacto estratégico para elevar os resultados, bem como em termos de produtividade, ampliando a eficiência com o propósito de oferecer um “serviço de excelência” ao nosso cliente (interno e externo).

2. A pandemia afetou várias empresas em todo o mundo. Enquanto empresa de RH a Nortempo sentiu, claramente, o impacto deste novo paradigma. Como o caracterizas?

A pandemia teve um impacto profundo a todos os níveis, quer profissionalmente, quer pessoalmente, o que nos obrigou a tornar-nos mais flexíveis e a recriar a nossa forma de trabalhar em equipa. A pandemia tornou-se um impulsionador para a mudança organizacional, vindo acelerar os processos da tecnologia digital.

3. Defendes que o trabalho temporário deve ser visto como uma solução para as empresas? Em que medida?

Sim. O trabalho temporário é um instrumento relevante de desenvolvimento económico em vários setores de atividade. Integrado e regulamentado, o trabalho temporário é um motor de crescimento e desenvolvimento do país, essencial para a competitividade das empresas. Quando as economias são desafiadoras, o trabalho temporário pode suportar os negócios, por exemplo, reposicionando as forças de trabalho existentes. Com o acelerar do ritmo de inovação de produtos e serviços, com o encurtar dos respetivos ciclos de produção e time-to-market. bem como com o aumento da volatilidade dos mercados alvo, as empresas procuram, cada vez, uma maior flexibilidade e rapidez de resposta da sua capacidade instalada, quer de produção, quer de prestação de serviços. A flexibilidade é, cada vez mais, sinónimo de otimização de custos e capacidade de captação de oportunidades de negócio, em simultâneo.

4. Quais as principais vantagens de recorrer à Nortempo e ao trabalho temporário (TT) no contexto atual?

A Nortempo é uma empresa multinacional, que visa unir pessoas e organizações, com o intuito de desenvolver o talento e a produtividade através de soluções integradas de recursos humanos.  

Somos especialistas em serviços integrais de RH, desenvolvemos contatos com empresas / profissionais e construímos relações baseadas na confiança e na criação de valor.

Contamos com uma experiência consolidada e comprovada há mais de 25 anos, pelo que oferecemos um portfólio completo e personalizado de serviços de RH. Dispomos de agências de norte a sul do país para que, desta forma, possamos estar mais próximos do mercado empresarial, dos nossos candidatos e dos nossos colaboradores.

Uma das soluções que promovemos é o trabalho temporário e a recorrência ao mesmo, que proporciona uma gestão flexível e eficiente de RH. No atual contexto económico, este modelo de trabalho temporário representa uma vantagem competitiva. Podemos referir algumas das principais vantagens para o efeito, tais como a flexibilidade contratual, trabalhadores qualificados, cumprimento de regulamentação legislativa, headcount, custos variáveis, etc.

As vantagens do trabalho temporário estendem-se também aos trabalhadores. As empresas, ao contratar colaboradores em regime de TT, estão a contribuir para o seu enriquecimento profissional e a estimular a economia, através da criação de postos de trabalho.

5. Enumera três consequências que se verificaram na pandemia para o trabalho temporário.

O decréscimo da atividade económica levou a uma redução quase imediata dos colaboradores neste regime, pelo que todo o setor do trabalho temporário foi negativamente impactado pela necessidade que as empresas sentiram, de ajustarem o número de colaboradores à sua atividade.

A incerteza quanto à natureza, à abrangência e ao impacto do “vírus”, que levou ao confinamento forçado, à paragem dos ciclos de produção e às restrições na mobilidade internacional de fatores, gerou uma quebra significativa da atividade económica no sector dos bens transacionáveis. Como consequência, as empresas de trabalho temporário diminuíram drasticamente o número de colaboradores, ajustando o seu modelo para preservar clientes, mantendo, desta forma, as funções mais especializadas e, acima de tudo, a proteção social dos seus colaboradores.

Em outros setores, a crise teve consequências inversas, gerando grandes oportunidades. Os sectores mais direcionados para a procura interna, como o agroalimentar, a distribuição e a saúde, tiveram um impacto positivo de crescimento para dar resposta às necessidades das populações. Este crescimento foi decisivo para o aumento do número de colocações, tendo as empresas de trabalho temporário reforçado a sua importância estratégica, ao dar resposta a vacaturas especializadas, inesperadas e de curta duração, causados por contágios de colaboradores diretos e/ou para responder a picos de produção.

6. Que tipo de empresas deve considerar o trabalho temporário uma opção na atualidade?

A indústria, o setor agrícola, toda a parte dos serviços e outros, sempre que a mais-valia de uma relação laboral flexível seja um fator de competitividade para a empresa.

7. Quais os maiores desafios para as empresas que pretendem aumentar os seus recursos humanos neste momento?

No contexto atual, que é ainda muito incerto, a recorrência a empresas especializadas em RH posiciona-se, cada vez mais, como um parceiro estratégico nas organizações. Considerar novos modelos de negócio, métodos de trabalho e de gestão, faz com que as empresas adquiram novos conhecimentos e, consequentemente, insiram novas práticas, interna e externamente.

8. Acreditas que as vantagens do TT podem ser potenciadas em contexto pós-pandemia?

É expectável que a recorrência ao trabalho temporário venha a recuperar rapidamente, pelo que, face à atual incerteza da evolução da situação pandémica, é natural que as empresas considerem preencher vagas através de soluções temporárias. Existem ainda poucas certezas face à evolução das encomendas e dos pedidos de clientes, que dependem da evolução económica do país.

As incertezas de crescimento sustentável, ou mesmo de uma estabilidade que justifique a consolidação de um aumento na estrutura da organização, é fundamental que as empresas procurem parceiros estratégicos ao nível do trabalho temporário e/ou outros serviços, parceiros esses que tenham a capacidade de dar uma resposta eficiente às várias necessidades de recrutamento.